Primeira vacina experimental dos EUA contra covid-19 entra em fase final de testes

Primeira vacina experimental dos EUA contra covid-19 entra em fase final de testes

- in Notícias
0
Comentários desativados em Primeira vacina experimental dos EUA contra covid-19 entra em fase final de testes

No total, 30 mil voluntários participarão dos estudos clínicos de fármaco desenvolvido pela empresa Moderna. Governo americano investiu quase 1 bilhão de dólares no projeto.

    
Pessoa com luvas azuis aplica vacina no braço de outra pessoa. Não é possível ver o rosto delas. Moderna é a primeira empresa americana a entrar na fase 3 de testes.

A farmacêutica americana Moderna começou nesta segunda-feira (27/07) a terceira e última fase de testes de uma vacina experimental contra a covid-19, com a participação de 30 mil voluntários. A empresa, que recebeu quase 1 bilhão de dólares do governo americano para financiar o projeto, é a primeira do país a entrar na fase final de testes.

De acordo com o diretor executivo da Moderna, Stéphane Bancel, os dados “alentadores” da primeira fase levam a empresa a pensar que é possível “ajudar a lidar com a pandemia e prevenir futuros surtos”.

Os voluntários receberão aleatoriamente doses de 100 microgramas de um placebo ou do fármaco, com o objetivo principal de comprovar se este é capaz prevenir os sintomas de covid-19, a infecção pelo coronavírus e os casos graves. Segundo a empresa, as primeiras doses foram aplicadas em Savannah, Geórgia, um dos mais de 70 locais de teste espalhados pelos Estados Unidos.

Os voluntários não saberão se estão recebendo a vacina real ou o placebo. Após duas doses, os cientistas acompanharão qual grupo foi mais infectado, à medida que os participantes sigam suas rotinas diárias, especialmente em áreas onde o vírus ainda está se alastrando descontroladamente.

A fase 3 de testes, com um número alto de voluntários, só foi possível graças a novos repasses de verbas do governo americano. No domingo, a Moderna anunciou em comunicado que conseguiu dobrar o financiamento governamental do projeto para US$ 955 milhões, modificando o contrato com a Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Avançado de Biomedicina (Barda, na sigla em inglês) para ampliar em US$ 472 milhões a quantia inicial destinada ao desenvolvimento da vacina mRNA-1273.

“Após conversas com a Administração de Alimentos e Fármacos (FDA) e com a Operação Warp Seed nos últimos meses, a empresa decidiu executar uma terceira fase do teste clínico significativamente maior, fechando uma lacuna no financiamento da Barda graças a esta modificação no contrato”, explicou a empresa.

A Moderna comunicou que, ao iniciar nesta segunda-feira a terceira fase do teste, dirigido pelo Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA, se torna a primeira empresa da corrida americana pela vacina a entrar nesta etapa avançada. Ela disse que continua a caminho de poder fornecer cerca de 500 milhões de doses da vacina em 2020, e possivelmente até 1 bilhão de doses por ano a partir de 2021.

Os Estados Unidos já registraram 4,2 milhões de casos de covid-19 e mais de 146 mil mortes, segundo estatística independente realizada pela Universidade Johns Hopkins.

Em todo o mundo, outras quatro candidatas à vacina estão na fase 3 de estudos clínicos: três da China e uma do Reino Unido de acordo com um balanço da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Na terceira semana de julho, voluntários brasileiros começam a testar a vacina desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac Biotech. Os primeiros 890 participantes receberam doses no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em parceria com o Instituto Butantan de São Paulo. Os pesquisadores do hospital vão analisar os voluntários a cada duas semanas, e estima-se que as primeiras análises estarão concluídas em até três meses. No total, participarão dessa fase 9 mil voluntários brasileiros, todos profissionais da saúde.

Além da vacina chinesa, o Brasil também está participando da fase 3 da vacina experimental desenvolvida pela Universidade de Oxford e a empresa farmacêutica AstraZeneca. De acordo com resultados preliminares divulgados recentemente, ela é segura e induziu resposta imunológica, segundo resultados preliminares divulgados na semana passada. A terceira fase de estudos clínicos, que inclui testes em 50 mil pessoas, está em andamento e inclui testes em 5 mil voluntários brasileiros, feitos em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

LE/ap, rtr, efe

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

You may also like

Governo quer corrigir todas as faixas da tabela de IR na reforma tributária, diz Guedes

Reuters Staff Ministro da Economia, Paulo Guedes, fala