CNPL alerta: defasagem da tabela do Imposto de Renda chega a 88,4%, desde 1996

CNPL alerta: defasagem da tabela do Imposto de Renda chega a 88,4%, desde 1996

- in Lateral
0
Comentários desativados em CNPL alerta: defasagem da tabela do Imposto de Renda chega a 88,4%, desde 1996

A Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) alerta os trabalhadores sobre da defasagem da tabela do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) que chega a 88,4%, desde 1996. Os dados são do estudo apresentado pelo Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco Nacional) neste mês de janeiro. Isso significa que os contribuintes estão pagando cada vez mais imposto e o governo, embolsando além do que deveria e achatando a renda da população, segundo Cláudio Damasceno, presidente do Sindifisco Nacional.

Conforme explica estudo, com correção, a faixa de isenção abrangeria os contribuintes com recebimentos até R$ 3.556,56 ao mês. Uma diferença de R$ 1.652,58 em relação ao valor aplicado atualmente. Para 2018, também não deverá ser realizada correção, segundo informou recentemente a Receita Federal. Com isso, a isenção deve continuar a ser aplicada para aqueles que recebem até R$ 1.903,98 por mês.

Se por um lado, com uma ampliação da faixa de isenção, um grupo maior de contribuintes deixaria de reter impostos na fonte, por outro lado o governo perderia receita. “Quando o governo usa esse tipo de artimanha para arrecadar fácil está penalizando uma faixa da população considerável”, aponta Cláudio Damasceno, presidente do Sindifisco Nacional. “São recursos que, se esse grupo pudesse contar, em vez de pagar imposto, certamente seriam canalizados para consumo. Fazendo a roda de a economia girar. O governo não deveria jamais de contar com esse recurso” argumenta.

O presidente do Sindifisco Nacional faz duras críticas à falta de correção na tabela do IR. “Ao se apossar daquilo que não tem direito, o governo achata a renda do trabalhador. Obriga-o a pagar mais imposto, dinheiro que poderia ser mais bem aplicado na poupança, no aprimoramento da formação educacional, no consumo, etc”.

A análise do Sindifisco Nacional ainda aponta que a defasagem não afeta apenas aqueles com menores rendimentos. Na verdade, ela atinge as demais faixas de renda, uma vez que obriga o contribuinte a pagar mais imposto de renda do que deveria.

Os descontos conferidos também deveriam ser maiores caso a tabela fosse corrigida. Para educação, o teto anual de desconto é de R$ 3.561,50 atualmente. Se a tabela não estivesse defasada, esse valor seria de R$ 6.709,90. Ou seja, quase o dobro do praticado hoje em dia.

Já para dependentes, o desconto seria de R$ 4.286,28/ ano, ao invés dos atuais R$ 2.275,08/ ano.

Tabela Imposto de Renda 2018

O Imposto de Renda é uma ferramenta de recolhimento de investimentos para educação, saúde e infraestrutura do País. Portanto, logo envolve milhares de assuntos. Essa ampla gama de informação a respeito de um imposto gera um pouco de dúvidas nos contribuintes que não possuem tanta experiência em declarar o imposto de renda.

Um dos assuntos ao qual os contribuintes possuem mais dúvida é a respeito da serventia da tabela do imposto de renda. No entanto, não há motivo para ter dor de cabeça. A tabela do Imposto de Renda 2018 é uma ferramenta na qual os contribuintes podem realizar a consulta as alíquotas referentes ao imposto daquele ano. O contribuinte deve sempre se atentar ao fato de que a base de cálculo é sempre a remuneração recebida pelo trabalhador, isto porque os critérios para aplicação de alíquotas se diferem.

Portanto, tenha mente que as alíquotas mudam de acordo com o salário recebido pelo trabalhador. Essa informação é fundamental no momento da elaboração da sua declaração do imposto de renda 2018. (Com informações dos portais: blogskill, correio braziliense e impostoderenda2018)

CLIQUE AQUI e confira o estudo do Sindifisco Nacional da íntegra. 

You may also like

Planos de saúde propõem atendimento priorizando médicos de família

Por Leo Rodrigues – Repórter da Agência Brasil